Nascer


Por que nascemos neste mundo?
Esta é uma pergunta que, do mesmo modo que a anterior, sequer deveríamos fazer, posto que existir e nascer decorre de uma Lei Maior com relação à qual nós não passamos de meros efeitos e não causa.
A questão 132 de O Livro dos Espíritos diz o seguinte:

Qual é o alvo da encarnação dos espíritos?
Deus a impõe com a finalidade de fazê-los chegar à perfeição. Os espíritos passam pela experiência da encarnação visando objetivos; para uns, é uma expiação; para outros, uma missão. Mas para chegar a essa perfeição, devem sofrer todas as vicissitudes da existência corporal. Esta é a expiação. A encarnação tem também um outro objetivo, que é o de colocar o espírito em condições de cumprir sua parte na obra da criação. É para executá-la que, em cada mundo, toma um corpo, constituído de sua matéria essencial, a fim de nele cumprir as ordens de Deus. Desta forma, concorre ele à obra geral, avançando progressivamente.

Assim a inadequação com as características deste mundo carnal em que vivemos não altera a Lei Maior. O nascer é uma necessidade nossa, assim como o ar é uma necessidade do corpo. 
Questionar por que nascemos e fomos colocados em uma situação difícil é aceitável para quem busca entender as razões e obter soluções com relação àquilo que o aflige. Contudo, querer anular o nascer pelo suicídio é querer tentar mudar a própria Lei Maior que é soberana.
O suicida, muitas das vezes levado pela sua dor, quer e tenta anular esta Lei, usando de uma faculdade existente na própria Lei que é o livre-arbítrio. Mas da mesma forma que uma cobra não pode se engolir a partir do próprio rabo, o livre-arbítrio não pode ser mais poderoso que a vida consciente que o gera. Portanto, o uso do livre-arbítrio não pode anular a vida do espírito.
Enfim, nascemos neste mundo porque precisamos e vivemos nele para que evoluamos. Essa é a Lei.


Para acessar a postagem principal: [clique aqui].



Nenhum comentário:

Postar um comentário